Terça, 11 de Maio de 2021 02:00
27992035090
Esportes FUTEBOL

Flamengo vira sobre Vélez com gol de Arrascaeta e vence em estreia

Em jogo válido pela estreia na Libertadores, o Flamengo venceu por 3 a 2 o Vélez Sarsfield

21/04/2021 00h05 Atualizada há 3 semanas
81
Por: Redação Agora ES Fonte: UOL/FOLHAPRESS
Foto: Marcelo Cortes/CRF
Foto: Marcelo Cortes/CRF

LEO BURLÁ RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS)

Em jogo válido pela estreia na Libertadores, o Flamengo venceu por 3 a 2 o Vélez Sarsfield, nesta terça-feira (20), no José Amalfitani, em Buenos Aires. O Vélez abriu a contagem com Janson, mas Arão empatou. Janson colocou os argentinos em vantagem de novo, porém Gabigol bateu pênalti e deixou tudo igual. Com uma bomba de fora da área, Arrascaeta decretou a virada e deu a vitória para o clube rubro-negro.
O Flamengo manteve as suas características ofensivas, mas faltou um pouco mais de intensidade, especialmente no primeiro tempo. Quando seus homens de criação apareceram, o Fla levou perigo e assustou. Atrás, no entanto, o Rubro-negro voltou a sofrer, mas falou mais alto a capacidade dos grandes nomes da equipe de Rogério Ceni.
Após o início da caminhada na competição continental, o Fla volta suas atenções para o Carioca. No sábado (24), um time formado por muitos reservas encara o Volta Redonda, às 19h, no Maracanã. O Rubro-negro precisa da vitória para levantar a Taça Guanabara.
Meia de origem, Diego voltou a atuar como volante e deu grande contribuição para o time. Com um time extremamente técnico, o camisa 10 se desdobrou na marcação e praticamente "carregou o piano" no meio e deixou Gerson um pouco mais solto para aparecer na frente. Vale a menção a Gabigol, que não parou de se mexer um segundo sequer e preocupou a defesa rival.
Escolhido para substituir Rodrigo Caio, Gustavo Henrique teve falha capital no lance que resultou no gol que abriu a contagem. Ao se precipitar no combate a Lucero, tomou um corte, ficou deitado no chão e viu o Vélez marcar. No segundo gol, marcou errado e permitiu que Gianetti escorasse para Janson marcar. O trabalho do jogador também foi dificultado pela demora na recomposição da equipe.
Entre o domínio da posse de bola e a já conhecida dificuldade defensiva, o Flamengo alternou altos e baixos em Buenos Aires. Com a bola, a equipe teve bons lampejos e chegou aos seus gols na base da qualidade técnica de seus jogadores. Quando atacado, o Fla viu o rival chegar com muita velocidade em seu campo e voltou na sofrer com a bola aérea defensiva. No fim das contas, os craques decidiram a favor dos campeões de 2019.
Em uma formação mais cautelosa, o Vélez apostou na marcação e na saída em alta velocidade na hora da retomada da bola. Os donos da casa criaram problemas para os rubro-negros, fizeram um bom jogo, mas não conseguiram conter a qualidade individual do rival.
Aos 16 do primeiro tempo, Gustavo Henrique subiu para cabecear, mas foi puxado pela zaga do Vélez. O time pediu pênalti, porém Wilmar Roldán mandou o jogo seguir.
Logo após o gol de empate, o Flamengo partiu em alta velocidade e Everton Ribeiro perdeu chance incrível para sacramentar uma virada quase relâmpago. Após receber boa bola de Gerson, o camisa 7 nem chutou, nem cruzou e a bola saiu para fora. Bruno Henrique ainda se esticou todo, mas não conseguiu alcançar.

Estádio: José Amalfitani, em Buenos Aires (ARG)
Árbitro: Wilmar Roldán (COL)
Assistentes: Wilmar Navarro (COL) e Miguel Roldán (COL)
Gols: Janson, aos 20min do 1ª tempo; Willian Arão, aos 42min do 1º tempo; Janson, aos 8min do 2º tempo; Gabigol, aos 16min do 2º tempo; Arrascaeta, aos 34min do 2º tempo
Cartões amarelos: Caseres, Lucero, Hoyos (VEL); Gustavo Henrique, Diego Alves, Bruno Henrique, Diego (FLA)
Cartões vermelhos: Mancuello (VEL)

VÉLEZ SARSFIELD
Hoyos; Brizuela (De la Fuente), Guidara (Monzón), Giannetti e Abram; Galdames, Cáseres (Bousat), Almada (Orellano) e Ortega (Mancuello); Janson e Lucero. T.: Mauricio Pellegrino

FLAMENGO
Diego Alves, Isla, Willian Arão, Gustavo Henrique (Bruno Viana) e Filipe Luís; Diego, Gerson (Hugo Moura), Everton Ribeiro (Vitinho) e Arrascaeta; Bruno Henrique (Pedro) e Gabigol. T.: Rogério Ceni

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.